quarta-feira, 29 de julho de 2009

Governo e sociedade discutem turismo náutico na Baía de Todos-os-Santos

A Baía de Todos os Santos, é considerada uma das melhores regiões do mundo para a prática de eventos náuticos
Segundo o Secretario Estadual de Turismo , Domingos Leonelli(PSB), o Plano Estratégico de Desenvolvimento do Turismo Náutico da Bahia, que conta com recursos da ordem de R$ 150 mil do Ministério do Turismo, já está em execução.
A rodada de quatro encontros propostos para a discussão do tema foi aberta segunda-feira, em Cachoeira, por representantes do setor náutico, da Secretaria de Turismo (Setur) e das comunidades que vivem no entorno da Baía de Todos-os-Santos, local apontado como vetor de desenvolvimento do setor. As discussões ocorrem até segunda-feira, em Itaparica, São Francisco do Conde e Salvador. O consultor náutico da Setur, Walter Garcia, afirmou que, durante os encontros realizados em Cachoeira e Itaparica, foi possível mostrar o plano à sociedade civil, que já começa a entender mais sobre o desenvolvimento do turismo náutico na região. Segundo ele, o avanço deste segmento ainda disponibilizará ao público outras opções de passeio pela Baía de Todos os Santos, como a ilha dos Frades (foto).
Boas condições – O plano, segundo Garcia, vai beneficiar a população de 15 municípios que fazem parte do entorno da BTS, dentre eles, as cidades históricas de Maragojipe, Cachoeira e São Félix.
A Baía de Todos-os-Santos é considerada por especialistas como uma das melhores regiões do mundo para a prática de eventos esportivos náuticos como regatas e travessias, devido às boas condições de navegabilidade, belezas naturais e temperatura da água.
Hoje, acontecerá reunião em São Francisco do Conde, no prédio da Uesf, e segunda-feira, no Centro de Convenções da Bahia (sala 03, Lobby Sul), em Salvador.

terça-feira, 28 de julho de 2009

"A ausência da mulher negra nos espaços de poder

Cristina Almeida*
25 de julho, um dia de reflexão sobre a necessidade de promoção da igualdade étnico-racial no Brasil. Em 1993, a ONU estabeleceu esta data, como o “Dia da Mulher Negra da América Latina e do Caribe”, marco internacional que desencadeou vários estudos sobre as condições de vida das mulheres negras. O que pretendemos enfatizar é que se ampliou, em muito, a participação política da mulher nos movimentos e nas ONGs, mas permaneceram as restrições nos espaços tradicionais de participação na política representativa . No levantamento realizado pela equipe do LAESER, dos 513 deputados federais eleitos em 2006, havia 11 de cor ou raça preta, sendo 10 homens e uma mulher. Como pardos, foram identificados 35, sendo 33 homens e duas mulheres. No total, foram 46 deputados, sendo 43 homens e três mulheres. Em termos relativos, o peso destes parlamentares na Câmara dos Deputados era de 2,1%, de pretos, e de 6,8%, de pardos. No começo de 2007, 76 dos 81 senadores (93,8%) eram brancos, enquanto somente quatro eram pardos e, um, preto. Portanto, os senadores pretos & pardos totalizavam apenas 6,2%. Além disso, todas as 10 senadoras (12,3%) são brancas. Não existe dado estatístico em nível de Estados e Municípios, mas são evidentes as desigualdades. Estatísticas apontam que, quando comparadas às mulheres brancas, as mulheres negras vivem menos – são as maiores vítimas de assassinatos, de violência doméstica - e são estigmatizadas em várias áreas. As mulheres negras têm salário menor – são a maioria das domésticas e a minoria em cargos de poder nas grandes empresas - recebendo salário inferior ao das mulheres brancas, mesmo desempenhando as mesmas atividades. É o grupo com maior índice de analfabetismo, mas, pasmem, têm significativo ingresso nas Instituições de Ensino Superior. As mulheres negras são as mais pobres, as mais desempregadas, buscando no trabalho informal o sustento de sua família. Têm menos acesso a serviços de qualidade, ou seja, têm seus direitos violados em várias áreas. Tais diferenças econômicas e sociais só serão reduzidas, se a mulher tiver uma maior participação nos espaços de Poder.
*Cristina Almeida é vereadora pelo PSB e secretaria Nacional do Movimento Negro do PSB.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Presidente Nacional do PSB faz palestra sobre melhoria na gestão pública nesta terça-feira

O presidente Nacional do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, participa nesta terça-feira (28), em Brasília, do 7º Congresso Internacional Brasil Competitivo, evento realizado pelo Movimento Brasil Competitivo. Ao lado de outros governadores, Eduardo Campos falará sobre os resultados de 2009 e como os projetos implantados em Pernambuco promovem a melhoria da gestão pública e que tem tornado o Estado mais competitivo no mercado nacional e internacional. E o mais importante: que tem incluído socialmente e melhorado a qualidade de vida da população.

domingo, 26 de julho de 2009

25 de julho: Dia da Mulher Negra da América Latina e do Caribe

A Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu, em 1993, o dia 25 de julho como o Dia da Mulher Negra da América Latina e do Caribe. “A data foi escolhida para dar maior visibilidade à luta das mulheres negras que sofrem com a discriminação de raça e gênero. Segundo estatísticas do IBGE, as mulheres negras formam a base da pirâmide social no Brasil. No entanto, ocupam os piores empregos e ganham os menores salários, mesmo desempenhando atividades iguais as das mulheres brancas”, explicou Cristina Almeida (foto) Secretaria Nacional do Movimento Negro do PSB, Segundo a socialista, a data marca a luta pelos direitos humanos das mulheres negras. “O 25 de julho também é celebrado como uma oportunidade para discutir políticas públicas e proporcionar maior participação e cidadania às mulheres negras”, disse Cristina Almeida. A socialista defende uma maior participação das mulheres no poder. “Tais diferenças econômicas e sociais só serão reduzidas, se a mulher tiver uma maior participação nos espaços de poder”, ressaltou. O Senado Federal aprovou no último dia 7, projeto da senadora Serys Slhessarenko , que estabelece, também, o dia 25 de julho como o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra. Tereza de Benguela é o símbolo dessa luta no Brasil. Líder quilombola do século 18, ela resistiu por mais de 20 anos à escravidão à frente do Quilombo do Quariterê (MT).

Cresce a Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis

A Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis, formada por movimentos de 21 municípios, realizou este ano seu primeiro encontro em Recife (PE). A co-responsabilidade Sociedade-Estado, a construção e o acompanhamento de indicadores foram temas em debate. Fundada em 2008, a rede, inspirada no modelo do movimento Bogotá Como Vamos e no movimento Nossa São Paulo, é composta por organizações plurais e apartidárias que aglutinam vários atores sociais de cada localidade. Tendo como valor o conceito de democracia participativa, o objetivo da rede é a construção de um desenvolvimento justo e sustentável das cidades. “O encontro teve como pauta principal a busca de um alinhamento mais efetivo entre todos os movimentos“, afirma o coordenador executivo do Movimento Nossa São Paulo, Maurício Broinizi. As propostas estão direcionadas em três eixos: metodologia de construção e acompanhamento de indicadores; ampliação do conhecimento sobre o Plano Plurianual e o Programa de Metas dos municípios e reflexão sobre instrumentos de democracia participativa. De acordo com Broinizi, é necessário ter uma plataforma mínima de indicadores para o diagnóstico da realidade local e formulação de propostas de políticas públicas. “A construção dos indicadores deve ser coletiva e participativa para acompanhamento das ações no município”, reforça. Para ampliar o conhecimento da rede sobre Plano Plurianual, houve o lançamento de uma cartilha. “O Plano Plurianual é importante pois prevê a distribuição orçamentária a médio prazo”, explica Broinizi. Já o Programa de Metas obriga os prefeitos a divulgarem um plano de governo adequado ao Plano Plurianual em até 90 dias após assumirem o cargo e prestarem contas à população a cada seis meses. Em São Paulo e outras seis cidades o programa já é lei municipal. “Algumas cidades da rede já conquistaram o programa de metas, muitas ainda não. Para a presidente do Movimento Ação Ilhéus (BA), Socorro Mendonça, os exemplos da rede ajudam no fortalecimento da experiência local. “Copiamos e adequamos algumas metodologias para a nossa realidade. Já conseguimos aprovar o Programa de Metas”. Além da troca de experiências, a rede contribui para a credibilidade do movimento em cada município. “Quando participamos de um movimento maior que reúne cidades de grande porte, como São Paulo, Recife e Rio de Janeiro, somos vistos com menos desconfiança”, explica o coordenador do Movimento Nossa Ilha Mais Bela, Georges Henry Grego. Em Ilha Bela e Ilhéus, a proposta ainda não é bem compreendida pela população. “Quando cobramos, acham que temos interesse político”, conta Grego. “Pensam que vou me candidatar a cargo político. Estamos tentando conscientizar a população para o entendimento de um conceito mais amplo de política e incentivando sua participação”, explica Socorro. Essas dificuldades e a criação de espaços para o exercício da democracia participativa estarão em discussão no encontro. “Há cidades com experiência em orçamento participativo como Porto Alegre e Belo Horizonte. Esses instrumentos diferem muito de cidade para cidade. Precisamos ampliar as discussões sobre o assunto”, descreve Broinizi. Outro desafio para as cidades menores é a sustentabilidade do movimento. “As dificuldades que enfrentamos aqui são de ordem financeira”, revela Socorro. “No início, contamos com a contribuição de alguns veranistas que já tinham histórico em responsabilidade social em suas empresas. Hoje a manutenção desses recursos é um desafio”, enfatiza Grego, de Ilha Bela. Também estará em pauta no evento estratégias de comunicação entre os membros da rede e para atingir o público em geral. Atualmente, a rede tem um Fórum na Internet e as notícias sobre as cidades estão nos sites de cada movimento. “A criação de um site foi decidida no encontro”, fala Broinizi. A rede é aberta para todos os movimentos interessados na construção de cidades justas e sustentáveis e que aceitem a carta de princípios. Confira a lista de participantes da rede e outras informações no endereço: www.nossasaopaulo.org.br/portal/cidades

Programa Nacional do PSB - Vídeo

sexta-feira, 24 de julho de 2009

EDITAL DO CURSO VIRTUAL DE “POLÍTICAS DE JUVENTUDE PARA O DESENVOLVIMENTO

O Curso de Políticas de Juventude para o Desenvolvimento promovido pela Fundação João Mangabeira em parceria com a Universidade da Juventude é uma grande oportunidade para que os gestores e as lideranças conheçam e analisem as práticas contemporâneas relacionadas com o desenvolvimento das políticas de juventude no Brasil e no mundo. O curso tem como objetivo o fortalecimento das competências individuais e institucionais dos atores estratégicos envolvidos na formulação, implementação e no controle social de planos, estratégias e programas de juventude. O programa acadêmico está estruturado em 4 Módulos de Aprendizagem, complementados por duas Conferências (de Abertura e de Encerramento). Após a finalização do curso a Fundação João Mangabeira, junto com a Universidade da Juventude, expedirá o certificado de extensão do Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos (CEBELA), reconhecido pelo MEC. O curso é composto por uma abertura presencial e um curso virtual baseado em um aprendizado assíncrono, onde todos os participantes não precisam estar on-line, nem trabalhar juntos ao mesmo tempo, e requer de 8 a 10 horas de trabalho por semana. Isso permite ao participante escolher seus horários de estudo e otimizar o seu tempo da melhor maneira possível. Na média, cada pessoa precisa trabalhar no curso de duas a três horas por dia, seja pela manhã, à tarde ou à noite. O Curso Virtual de Políticas de Juventude para o Desenvolvimento terá início em 29 de agosto, com a aula presencial de abertura, na sede da Fundação João Mangabeira, em Brasília.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Salvemos Salvador, enquanto é tempo

Paulo Ormindo de Azevedo*
O 460º aniversário de Salvador passou quase despercebido. Realmente não há muito a comemorar. Em 60 anos de “laissez-faire”, a cidade acumulou índices assustadores de compactação demográfica e veicular, concentração de pobreza, insegurança e destruição do meio ambiente, que apontam para seu colapso em curto prazo. A cidade possui hoje 4.172 habitantes por km², densidade superior à de Bombaim, segunda colocada. Para piorar, a urbe se transformou, por falta de política metropolitana, em dormitório e provedor das necessidades de 3,76 milhões de moradores da Grande Salvador. Camaçari, Lauro de Freitas, Simões Filho e Candeias juntas faturam receita igual à de Salvador, transferindo para esta o passivo de serviços e infraestrutura. Seu déficit habitacional é de 100 mil habitações, das quais 80% são de famílias fora do mercado imobiliário. Para satisfazer aos 10% dos candidatos com renda superior a cinco salários mínimos, o novo PDDU consentiu que o setor imobiliário devorasse as entranhas verdes da cidade, a orla e os bairros consolidados. Cerca de 35 mil novos automóveis e o dobro de motos são licenciados a cada ano. O metrô de Salvador, cuja construção dura 6 anos, é dos mais caros do mundo. Terá 6 km, 6 trens e custará R$ 1,16 bilhão, se inaugurado em 2010. No Recife, o metrô foi construído em dois anos, tem 34,7 km, 25 trens, transporta 180 mil por dia e custou R$ 750 milhões, segundo H. Carballal (A TARDE, 23/3/09).Isto para não falar no impacto ambiental e déficit operacional. As duas saídas rodoviárias da cidade, a Paralela e a BR-324, estão no limite e ainda se fala em construir uma ponte para Itaparica para trazer os caminhões da BR-101 para o nó do Iguatemi, em vez de construir um arco rodoviário. Isto quando Manhattan e cidades europeias cobram pedágios e proíbem a construção de novas garagens para evitar a entrada de mais carros. Em Salvador, alguns apartamentos centrais têm até seis vagas.Não há planejamento nem qualificação dos projetos públicos, que são oferecidos pelas empreiteiras interessadas, vide a ponte de Itaparica e o parque da Vila Brandão. A Sedham funciona como uma Defesa Civil, mais que um órgão de planejamento. As licitações são feitas em função do menor preço, ou seja, do pior projeto e menor tempo. O desperdício é grande, viadutos são construídos e não servem para nada, as ruas são refeitas a cada inverno. O Pelourinho é recuperado todo ano. Os conjuntos habitacionais, sem serviços, são novas favelas, estão se desfazendo. E vai-se implodir o parque olímpico da Fonte Nova, cujo laudo da Politécnica diz ser recuperável, para construir uma nova arena menor e um shopping, para dois dias de festa. O que acontecerá com a Copa, se chover, com a cidade alagada e parada como se viu há pouco? As questões ambientais têm o mérito de nivelar todos. Os condomínios fechados da Paralela foram invadidos por barbeiros, dengue, sapos, lagartos e cobras. O senhor prefeito teve de mudar de casa e gabinete, mas prefere trocar postes cinzas por azuis do que rever um PDDU aprovado com 180 emendas de última hora. A classe média já não suporta os engarrafamentos e se tranca em torres e condomínios mistos de vida monástica, com celas, refeitório, oficinas, botica e orações televisivas no mesmo lugar.
Considerada patrimônio da humanidade, Salvador mergulha hoje na mediocridade imobiliária. Fernando Peixoto lamentou a “paulistização” da cidade. Arilda Cardoso denuncia a perda de patrimônio histórico e verde. Neilton Dórea constata: “Hoje, há uma arquitetura dependente... A maioria (dos arquitetos) é desenhador de uma vontade empresarial” (Muito, de 29/3). Mas não devemos ser pessimistas. A sociedade civil se organiza em movimentos como “A Cidade Também é Nossa” e “Vozes da Cidade”, os ministérios públicos, federal e estadual, assumem o papel que lhes cabe. Não é desmatando, segregando e verticalizando que se vai resolver os problemas de Salvador, senão pensando grande e democraticamente, compreendendo que Salvador só tem saída na região metropolitana.São estas questões que cidadãos, ricos e pobres, de Salvador querem discutir, antes que a cidade entre em colapso completo.
*Paulo Ormindo David de Azevedo, graduado em Arquitetura pela Universidade Federal da Bahia (1959) e doutorado pela Università degli studi di Roma Tre (1970) . Atualmente é professor titular da Universidade Federal da Bahia e Presidente do IAB Bahia.
Artigo publicado na edição de hoje do jornal A Tarde. Leia também : http://www.portaldoarquiteto.com/ponto-de-vista/paulo-ormindo/salvador-a-cidade-que-nos-queremos.html

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Salvador passa a ser porto de saída e chegada de cruzeiros marítimos

A criação de roteiros de cruzeiros marítimos saindo de Salvador marca mais uma etapa para o turismo baiano, afirma o Secretário Domingos Leonelli(PSB).
A temporada de cruzeiros vai começar mais cedo em Salvador. A partir de setembro os navios, que antes estavam apenas de passagem por Salvador, agora vão ter a cidade como ponto de partida e de chegada. O fato da capital baiana ser um dos principais destinos turísticos do país é um dos motivos para essa conquista, segundo a presidente da Bahiatursa, Emília Salvador Silva.
O número de visitantes originários de navios que passam por Salvador vem aumentando a cada ano. “Há cinco anos, o total de turistas que embarcava e desembarcava aqui era de 47 mil, já na temporada de 2008/2009 essa estatística subiu para mais de 213 mil passageiros”, afirmou Alexandre Garrido, vice-presidente do Sindicato das Empresas de Turismo do Estado da Bahia – Sindetur.
A presidente da Bahiatursa, Emília Salvador Silva, ressalta a importância de ter Salvador como ponto de partida e chegada de Cruzeiros para o fomento do turismo na cidade. “Antes o turista ficava apenas algumas horas em Salvador, agora com o embarque e desembarque aqui o passageiro vai querer aproveitar melhor o local, ficando aqui por alguns dias, o que vai movimentar toda a cadeia turística da cidade, pois ele vai utilizar dos equipamentos turísticos da cidade”.
Fonte: Decom/Bahiatursa

sexta-feira, 17 de julho de 2009

LÍDICE APOIA PREFEITOS E DEFENDE PAUTA MUNICIPALISTA

Cerca de 100 prefeitos, vice-prefeitos e vereadores lotaram o plenário 4 da Câmara dos Deputados durante reunião com a bancada da Bahia. Conduzido pela coordenadora da Bancada, Deputada Lídice da Mata(PSB) (foto), o encontro serviu para que os deputados ouvissem as principais reivindicações das prefeituras durante a 12ª edição da Marcha dos prefeitos a Brasília.Para os prefeitos baianos, são três principais pontos que precisam de solução rápida. Em primeiro lugar a regulamentação da Emenda Constitucional 29 para que o equilíbrio financeiro neste setor permita a continuidade do atendimento. Os prefeitos foram unânimes em reclamar da perda de recursos que afetam os investimentos no setor. Os líderes também reclamaram de que as cidades receberam muitas atribuições e não vieram seguidas de recursos. Outro ponto de reivindicações é quanto ao parcelamento das dívidas dos municípios com o INSS. A principal divergência é quanto à taxa de juros sobre o valor devido, os prefeitos ressaltam que a taxa SELIC vai encarecer muito a dívida e defendem a aplicação da TJLP. A terceira reivindicação apresentada é a aprovação da PEC dos precatórios que alonga os prazos de pagamento das dívidas e viabiliza investimentos em diversos setores.
A prefeita socialista Maria Quitéria Mendes, do município de Cardeal da Silva, afirmou que os três pontos, aliados às outras reivindicações são fundamentais para a administração das cidades. O presidente da União dos Municípios da Bahia - UPB, Prefeito Roberto Maia, de Bom Jesus da Lapa destacou o crescimento da Marcha dos Prefeitos e reafirmou a importância da regulamentação da Emenda 29 que vai garantir, pelo menos, 28 bilhões de reais a mais na saúde pública.
A coordenadora da bancada, deputada Lídice da Mata, concluiu a reunião comprometendo-se com os pleitos dos prefeitos, mas também fazendo um alerta aos dirigentes municipais: "não podemos esquecer que esta é uma casa política, em que os partidos têm posição definida sobre determinados temas, mas a pauta municipalista merece a atenção de todos, indistintamente" explicou Lídice.
A deputada disse que vai trabalhar, em conjunto com toda a bancada do estado, para que o presidente da Câmara coloque em votação os vetos da presidência da República ao parcelamento das dívidas com o INSS. Lídice garantiu aos prefeitos que eles podem contar com a bancada da Bahia na busca de soluções que tornem melhor a vida nas cidades.
Fonte: Assessoria de Imprensa Dep.Lídice da Mata

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Congresso do PSB em Salvador

SÃO JOÃO DA BAHIA: REMINISCÊNCIAS. E O FUTURO?

Laudelino Souza da Conceição (Lau) é vereador da capital pelo PSB
Apesar de ser soteropolitano e ter os pés bem fincados aqui, em Salvador, de onde nunca manifestei o desejo de sair, exceto quando, sazonalmente, o trabalho me impõe tal necessidade, acontece que, como o pessoal da zona rural de nosso estado, gosto muito dos folguedos juninos. Embora não sendo exímio dançarino de forró e de outros gêneros, gosto de ouvir e de apreciar quem dança com exuberância, pois, caso um dia, tomado pela travessura de cair no forró, após os primeiros segundos de sacolejos, a minha dama certamente irá à delegacia mais próxima denunciar-me por crime de lesões corporais, afinal, de tanto pisotear os seus pés, não lhe restará uma só unha. É coisa de cintura dura. Assim me considero. Mas, no meu canto e de sorriso largo, curto o São João e o autêntico pé-de-serra. O São João já teve seus áureos momentos aqui em Salvador, principalmente nos bairros populares. Que bem o digam os moradores do bairro de Pau Miúdo, onde, até o início da década de 90, o movimento das quadrilhas juninas, capitaneado pelo saudoso José Lima, grande entusiasta dos festejos de São João, dava o tom da festa. Anariê, Forró do ABC, Balão Beijo, Fogaréu, Santa Fé e Esperança. Anariê! E a festa tinha o seu ponto alto no grande concurso de quadrilhas e sambas juninos, que perdurava por três dias consecutivos, transformando a Rua 20 de Agosto num grande "arraiá". Ao falar das reminiscências do São João, lembro-me da minha infância e adolescência aqui no Pau Miúdo, bairro da periferia em que, até meados dos anos 60, a sua principal rua não era asfaltada (Rua Marquês de Maricá), e as outras secundárias com suas ladeiras e escadarias íngremes e de terra batida, no mês de junho os seus moradores, assim como eu, éramos tomados, arrebatados pelo lúdico sentimento junino evidenciado nas bandeirolas que enfeitavam as casas ruas e vielas da comunidade. E, à noite, as mesas das humildes habitações eram ocupadas pelas iguarias da época para recepcionar quem chegasse querendo beber um licor de jenipapo caseiro ou beliscar um amendoim pegado no sal. Quem não estivesse trajando uma calça Farowest, camisa quadriculada com um chapéu de palha, principalmente os homens, não estava no clima do São João. Sem falar que os mesmos deveriam estar calçados com tamancos ou em sapatos tipo Conga Sete Vidas. São essas algumas das saudosas lembranças dos festejos juninos do bairro de Pau Miúdo, quando as trezenas de Santo Antônio, nas noites frias do mês de junho, e o forte cheiro de jenipapo cozido com cravo e canela, impregnado na atmosfera dos becos e vielas da localidade, anunciavam que São João estava chegando. São João. Tradição ou tradução? Segundo estudiosos da antropologia cultural, a tradição sucumbe com mais facilidade ante a ação do processo de aculturação e tende a desaparecer. A tradução, mesmo com as circunstâncias da adversidade cultural, mantém os principais traços da essência cultural e adéqua-se às metamorfoses ancoradas no tempo e espaço contemporâneos. É inegável que o São João da Bahia, o mais novo produto turístico do nosso estado, em suas duas edições, vem se mostrando como vigoroso vetor de sedimentação cultural e fomentador de emprego e renda durante o período da baixa estação. Tenho acompanhado o intenso trabalho do Secretário de Turismo do Estado da Bahia para universalizar as ações do turismo, descentralizando-o e materializando sua operacionalidade em todo estado. O investimento, este ano, de dez milhões de reais no projeto São João da Bahia evidencia a justa decisão governamental. Louvo a iniciativa de fortalecer a manifestação junina na capital com a boa estrutura disponibilizada para a população soteropolitana e outrem no Pelourinho e Terreiro de Jesus, porém ainda há a necessidade de investimentos nos festejos dos bairros da nossa periferia, onde outrora inúmeras quadrilhas juninas e grupos de samba junino se apresentavam nos bairros de Engenho Velho de Brotas, Pau Miúdo, Brotas e Capelinha de São Caetano. Como apreciador dessa exuberante manifestação cultural das nossas raízes, sobre o São João, hoje, no exercício do labor legislativo na Câmara Municipal de Salvador, apresentei o Projeto de Indicação Nº 111/07, que propõe a realização do concurso de quadrilhas na rede municipal de ensino como forma de inserir os nossos educandos no contexto cultural da nossa sociedade. O São João, no seu aspecto lúdico e cultural é belo e, como tem demonstrado, movimenta os diversos segmentos da nossa economia. Mas precisamos ousar mais. Precisamos ampliar a alvissareira proposta do secretário Domingos Leonelli de realizar 30 dias de forró no Parque de Exposições para os moradores dos bairros populares; precisamos incluir a Feira de São Joaquim na programação junina, pois ali cabe a realização do Forró da Feira, num ocioso espaço da Codeba, durante a semana que antecede os folguedos juninos. Assim, aduzo as minhas impressões na crença de que, ao lado do carnaval, o nosso São João já desponta como um forte atrativo turístico verossímil à festa de momo.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Candidatura de Lídice ao Senado se fortalece

A deputada federal Lídice da Mata (PSB), que teve seu nome apoiado por todos os representantes partidários presentes ao congresso do PSB em Salvador no último sábado, afirmou o seu apoio à reeleição do governador Jaques Wagner. "Estamos no projeto político que ajudamos a construir na Bahia e que o tornou governador do nosso Estado", reforçou Lídice. Perguntada sobre a possibilidade de ser a primeira representante baiana no Senado Federal, Lídice disse que será um momento extraordinário, mas adiantou que não pode falar do futuro com algo certo. "Então, eu sou candidata, e o fato de ser candidata, já é algo extraordinário no país onde a representação feminina no parlamento nacional é absolutamente aquém da maioria dos países; não diria nem do mundo, só da América. É muito ruim a representação feminina do ponto de vista numérico no Brasil na Câmara Federal onde nós somos menos de 10%; no Senado somos apenas 11%", informou. Lídice assegurou que, caso seja eleita, pretende dedicar o seu mandato como senadora aos problemas do desenvolvimento da Bahia, abordando as questões sociais do Estado e as questões no que dizem respeito à população mais pobre.

terça-feira, 14 de julho de 2009

FJM realiza seminário sobre os partidos políticos e os movimentos sociais e populares

Os Partidos Políticos e os Movimentos Sociais e Populares. Esse é o tema do seminário que a Fundação João Mangabeira (FJM) realizará, nesta quinta-feira (16), às 18h30, em sua sede em Brasília. O objetivo desse seminário é atualizar o intercâmbio de informações e opiniões entre os cinco segmentos organizados da legenda: sindical, mulheres, juventude, movimentos negro e popular.
O debate será transmitido pela TV João Mangabeira, pontualmente às 18h:30, por meio do endereço eletrônico: WWW.tvjoaomangabeira.com.br. O seminário também permitirá a participação da população em geral, militantes e simpatizantes do PSB que quiserem enviar suas perguntas pela internet no seguinte endereço: fjm@fjmangabeira.org.br.

O Porto e a Cidade

Osvaldo Campos
Em 2008, pela primeira vez na década, a movimentação de cargas conteinerizadas no porto de Salvador registrou queda, sendo ultrapassado pelo porto de Suape, que passa a liderar a movimentação deste tipo de cargas no Norte e Nordeste.
Entre os diversos fatores que podem ser apontados para a perda de competitividade do Porto de Salvador em relação aos seus principais concorrentes destacam-se:
Defasagem da infra-estrutura do porto, com pequena profundidade e extensão do berço especializado em contêineres; deficiência dos acessos terrestres e falta de conexão intermodal; falta de continuidade administrativa e excessiva dependência em relação ao governo federal; movimentação de contêineres praticamente monopolizada por um único operador portuário sem a devida regulação por parte da Codeba e Antaq.
Apesar das excelentes vantagens comparativas naturais do Porto de Salvador, localizado numa das maiores baías de águas profundas e abrigadas do mundo, do baixo custo de manutenção da profundidade de seu canal de acesso e dos berços de atracação, o porto de Salvador se recente da falta de investimentos e da limitada dimensão de seu terminal de contêineres, já próximo de seu limite operacional.
Para que o porto volte à liderança no Norte e Nordeste do Brasil, se faz necessária a imediata ampliação do terminal de contêineres, a implantação de um terminal especializado em grãos e um novo Terminal de Cruzeiros Marítimos.
Torna-se necessário também uma eficiente promoção comercial do porto, incrementos da produtividade nas operações e o aperfeiçoamento nas relações entre trabalhadores e empresários, fatores indispensáveis para a atração de novas linhas marítimas e de novos usuários importadores e exportadores de cargas.
Uma mais estreita ligação com a comunidade portuária da cidade se faz também necessária. Em portos como Antuérpia , Le Harvre e Hamburgo, foi através do diálogo e de ações conjuntas envolvendo empresários, trabalhadores, associações empresarias e o poder público local, materializadas em “Alianças Portuárias”, que viabilizaram o crescimento e a competitividade destes portos e das regiões sobre suas influências.
Sugere-se para Salvador a criação de um fórum similar, envolvendo não apenas os usuários, como a Usuport, mas toda comunidade portuária da cidade, objetivando principalmente a promoção comercial do porto e sua revitalização competitiva.
Num momento em que o índice de desemprego na região metropolitana de Salvador é um dos maiores do Brasil deve ser priorizado o resgate da cidade enquanto centro comercial, portuário e de serviços, face às suas excelentes vantagens geoeconômicas.
Para isto, torna-se imprescindível uma nova relação porto - cidade, com, a união da comunidade local em prol da revitalização e modernização da atividade portuária em Salvador.
Artigo publicado hoje no jornal A Tarde
Osvaldo Campos, é Engenheiro (UFBa-79) e Mestre em Administração (UFBA-95), coordena o Núcleo de Estudos em Logística e Transportes-NELT. Coordenou a elaboração do PELTBAHIA - Primeiro Plano Estadual de Logística de Transportes elaborado no Brasil com visão de longo prazo , contemplando todos os modais de transportes. Membro da Executiva do PSB em Salvador, foi candidato a vereador em 2008 pelo PSB defendendo a regionalização da administração do Porto de Salvador.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

A partir de agosto eleitores de todo Brasil poderão pedir Título Eleitoral pela internet


A partir do final do mês de agosto os eleitores brasileiros residentes nos vinte seis estados e no Distrito Federal poderão solicitar seu título, pedir transferência de domicílio ou fazer a revisão de seus dados eleitorais pela rede mundial de computadores. É o que prevê o cronograma de implantação do Título Net, estabelecido no último dia 1º de julho pelo Corregedor-Geral da Justiça Eleitoral, ministro Felix Fischer.A implantação do Título Net começou nesta segunda-feira (6), pelo estado de Rondônia. Na próxima semana chegará à Paraíba, que deve disponibilizar o serviço já na segunda-feira (13). Ainda em julho, a implantação ocorrerá no Distrito Federal (20), São Paulo e Paraná (27). Em agosto, o cronograma prevê a implantação do projeto em Alagoas, Espírito Santo, Goiás, Maranhão e Rio Grande do Sul, no dia 3; Acre, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rio de Janeiro e Sergipe, no dia 10; Amazonas, Ceará, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio Grande do Norte e Santa Catarina, no dia 17; e por fim, Amapá, Bahia, Pará, Pernambuco, Roraima e Tocantins, no dia 24.

Celsinho Cotrin é eleito presidente da Executiva Municipal do PSB

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) elegeu durante o seu Congresso Municipal o novo diretório da legenda no município, confirmando Celsinho Cotrim, como presidente da executiva municipal da legenda.
Estavam presentes no encontro, além de Celsinho Cotrim, o vice-presidente nacional do partido, Roberto Amaral, a presidente estadual do partido, deputada federal e, atualmente, candidata ao Senado, Lídice da Mata, o Secretário de Turismo Domingos Leonelli, o dirigente nacional e estadual e candidato a deputado federal, Sérgio Gaudenzi, o deputado estadual Capitão Tadeu, os vereadores Orlando Palhinha e Laudelino Conceição, os representantes do Partido Verde, Jair Gomes, do PCdo B, Wesley Moreira, do PT, Paulinho Mota , os ex-vereadores Valdemar Oliveira, Celso Cotrin e o dirigente do partido Antônio Tramm.
Antes de iniciar o encontro, o presidente da executiva municipal do partido, Celsinho Cotrim, pediu para que os presentes fizessem 1 minuto de silêncio em respeito ao falecimento do ex-deputado Mário Lima, que morreu em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), aos 74 anos de idade. O sepultamento foi no Cemitério Jardim da Saudade. O ex-deputado participou da elaboração da Constituição de 1986 e foi fundador do primeiro sindicato dos petroleiros do país. Eleito deputado federal pela primeira vez em 1962, pelo PSB, teve o mandato cassado em 1964 pelo governo militar, tendo seus direitos políticos suspensos até 1979.
O presidente do diretório municipal do PSB, Celsinho Cotrim disse que pretende fazer com que o partido trilhe o caminho, sem olhar para o retrovisor. "Estamos fazendo a diferença que, com 60 dias de gestão provisória para preparação ao Congresso Municipal, nós já pulamos de 370 para 1190 filiados que estão a fim de eleger o seu novo diretório e discutir as teses políticas partidárias", afirmou Celsinho. Ele disse ainda que o partido continua, de forma intransigente, apoiando o governo Wagner. "Estaremos com Wagner apoiando a sua reeleição em 2010 com os nossos dois vereadores Lau e Palhinha, a deputada federal Lídice da Mata e o deputado estadual Capitão Tadeu", afirmou. Quanto ao nome da deputada federal Lídice da Mata, na disputa por uma das cadeiras do Senado, Celsinho relatou que os partidos do interior e da capital já aprovaram indicativos à executiva estadual para que apresente o nome de Lídice como candidata ao Senado federal na chapa junto com Jaques Wagner na sua reeleição.
O vice-presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, disse que a reeleição de Celsinho Cotrim frente à executiva municipal significa uma renovação para o partido. "Neste caso, é uma revitalização do partido, é a ascensão da militância da direção partidária. Nós depositamos muita esperança no trabalho dele e acreditamos no fortalecimento do partido", elogiou. Sobre a estratégia que a legenda pretende usar nas eleições para 2010, Amaral comentou sobre duas estratégias, pois a primeira delas é manter o atual projeto político; um outro projeto é eleger um maior número possível de deputados federais. Ainda conforme o vice-presidente nacional da legenda, o fato de Lídice ser candidata ao Senado, representa o fortalecimento da bancada do partido no Congresso Nacional. "É importante, porque nós somos poucos senadores e um senador para a Bahia é muito representativo no quadro nacional", concluiu.

domingo, 12 de julho de 2009

PROGRAMA DE AÇÃO E REORGANIZAÇÃO DO PSB SALVADOR - 2009

No congresso realizado ontem no auditório do Colégio das Mercês foi eleita a nova Executiva Municipal do nosso partido que será presidida pelo Socialista Celsinho Cotrim.
Durante o congresso foram discutidos vários temas em diversas áreas como Juventude, Mulher, Sindical, Segurança Publica, Movimento Negro e de forma unânime foi lançado e aclamado por todos os Socialistas presentes o nome da Deputada Lídice da Mata para o Senado da Bahia.
A tese da Chapa Renovar para Socializar foi discutida e aprovada. Tese esta que lança o programa de reorganização do PSB em Salvador.
“ O Partido Socialista Brasileiro – Salvador enfrenta uma tarefa árdua de reorganização partidária e de fortalecimento de suas bases na capital. Essa tarefa também passa pela reestruturação de seus setoriais das mulheres, juventude, negro e sindical soteropolitano. É este o objetivo desta tese: planejar e administrar uma nova fase de nossa vida partidária, a partir deste Congresso.”
Veja abaixo os pontos do programa de ação e reorganização do PSB de Salvador:

01 Manutenção e fortalecimento das 20 zonais, afim de estreitar as relações do partido com os filiados, contribuindo assim, para oxigenação da vida partidária;
02 Encontro semestral com as 20 zonais, a fim de discutir e sistematizar os resultados e propostas destas células de bases;
03 Realizar o primeiro encontro dos movimentos populares, democráticos socialistas da cidade de Salvador;
04 Realizar sistematicamente cursos de formação política periódicos na sede do partido, afim de qualificar nossas lideranças;
05 Retomar a publicação periódica do partido;
06 Maior divulgação do Blog do partido, interagindo com as zonais, militantes e filiados em geral.
07 Campanha de filiação nas zonais e nos meios de comunicação;
08 Implantação de uma frente de jovens e mulheres socialistas: com intuito de debater gêneros, política publica para jovens e mulheres;
09 Criação das secretarias para pessoas com necessidades especiais, mulheres, negros, sindicais, movimento popular, GLBT;
10 Sustentação financeira do partido, com a regularização das contribuições partidárias e implantação da loja socialista para vender camisas, bandeiras, adesivos, broches, revistas informativos do partidos;
11 Criação da Biblioteca João Mangabeira;
12 Grupos de estudos permanentes para formulação como temas do cotidiano, como situação política do município, para orientação aos nossos mandatários das posições do partido frente a tais temas;
13 Debate permanente entre o PSB e bancada municipal;

MORRE PRIMEIRO DEPUTADO ELEITO PELO PSB DA BAHIA


O ex-deputado federal Mário Lima faleceu no dia 10 Julho, aos 74 anos, no Hospital Aliança, em Salvador. Ele havia sido internado, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital, vítima de um Acidente Vascular Cerebral (AVC).
A deputada Lídice da Mata(PSB) acompanhada da Executiva do partido e de militantes socailista,compareceu ao sepultamento do ex-deputado federal Mário Lima, no Cemitério Jardim da Saudade, com o sentimento de quem perdeu um grande amigo.
De acordo com a deputada, além de um político sério e coerente com os interesses que ele apresentava, foi um grande amigo, fiel, leal e carinhoso. “Foi comigo Deputado Constituinte e presidente de Comissões importantes e também meu vice na eleição de 2004, além de ter sido o primeiro deputado federal eleito pelo PSB na Bahia. Por todas essas razões, o PSB da Bahia chora a sua morte e rende todas as homenagens ao seu nome".Nascido em Glória, no sertão da Bahia Mário Lima, ingressou na Petrobras após ser aprovado em concurso e logo despontou como uma liderança da categoria. Eleito deputado federal em 1962, teve os direitos políticos cassados após a instalação da ditadura militar, chegou a ser preso em Fernando de Noronha., por sua militância como líder sindical, do Sindipetro. Com a anistia, em 1979, ingressou no PMDB e retornou à Câmara Federal assumindo a vaga do então deputado Carlos Sant’Anna, que foi escolhido por Tancredo Neves para o Ministério da Educação. Em 1986 foi reeleito deputado federal e participou da Constituinte.Sua última participação em disputa política aconteceu em 2004, quando foi candidato a vice-prefeito de Salvador, pelo PMDB, na chapa encabeçada por Lídice da Mata (PSB).
"É difícil para um filho falar. Para mim foi o maior sindicalista da Bahia em todos os tempos. O processo de industrialização começou com o petróleo. O Estado era rural, vivia do cacau. Quando foi inaugurada a sede nova do Sindicato, em 1962/1963, veio à Bahia, além do presidente João Goulart, os governadores Miguel Arraes (Pernambuco) e Seixas Dórea (Sergipe). Então, além de ter sido um sindicalista importante, contribuiu muito com a Bahia e pela redemocratização do Brasil", disse o filho Edmo Del Rey.

sábado, 11 de julho de 2009

Congresso do PSB Salvador elege nova executiva do partido

Com a presença do vice-presidente nacional do Partido Socialista Brasileiro, Roberto Amaral, foi realizado congresso do partido para eleição do novo Diretório Municipal e da nova executiva do partido em Salvador. Com o auditório do Colégio Mercês repleto de militantes do PSB, e, na presença da Deputada Federal Lídice da Mata, do Secretário de Turismo da Bahia, Domingos Leonelli, do Deputado Estadual Capitão Tadeu, dos vereadores do partido na capital, Lau e Palhinha, além de Sérgio Gaudenzi, Waldemar Oliveira, Antônio Tramm, do presidente do PV, Jair Gomes e representantes do PT e PC do B, Celsinho Cotrin, foi eleito presidente da executiva do PSB em Salvador.
Aclamada pelo público presente , a Deputada Lídice da Mata elogiou a capacidade de mobilização do novo presidente do Diretório Municipal e teve seu nome mais uma vez lançado, por todos os representantes partidários presentes ao evento, como candidata ao Senado Federal nas eleições de 2010, na chapa majoritária a ser encabeçado pelo atual governador Jaques Wagner.
O vice-presidente nacional do PSB, Roberto Amaral(foto), mostrou-se bastante satisfeito com a eleição de Celsinho Cotrin e o fortalecimento do partido na Bahia. Reafirmou também o apoio e a confiança da direção nacional do partido na reeleição do Governador Jaques Wagner e na eleição da Deputada Lídice da Mata como primeira senadora da Bahia. O presidente eleito, Celsinho Cotrin, agradeceu a todos pela confiança nele depositada, relatou o crescimento do partido em Salvador , com a constituição de diretórios em todas as zonais da cidade e conclamou os militantes do partido a uma grande campanha de filiação de novos membros, visando o fortalecimento do partido em Salvador. Manifestou também sua convicção na eleição da Deputada Federal Lídice da Mata como futura senadora da Bahia. Estiveram também presentes no congresso o ex-vereador Celso Cotrin, a presidenta da Força Sindical na Bahia, Nair Goulard, o cientista político Paulo Fábio e diversos prefeitos do PSB na Bahia.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

PSB garante doações por cartão de crédito

A bancada do PSB apresentou duas emendas à reforma eleitoral, PL 5498 de 2009, que garantirão doações à campanhas eleitorais por cartões de crédito e feitas por cooperativas, desde que não recebam recursos públicos. A emenda que permite a doação por cartões de crédito altera as leis 9.096/95 e 9.504/97. De acordo com o texto, toda doação a candidato ou a partido deverá ser feita mediante recibo, caso seja realizada via internet, deverá ser feita por formulário eletrônico ou cartão de crédito, dispensada a assinatura do doador. O deputado Dr. Ubiali (PSB/SP), autor da proposta, explica que a emenda simplifica a doação de recursos pela internet. “Este é um recurso utilizado amplamente nas campanhas americanas”, observa. Também será permitida doações por cooperativas, suas federações e organizações. No texto, o autor justifica que as cooperativas fazem parte de um segmento econômico similar a outros segmentos do mercado.
Fonte: Assessoria de Imprensa da Liderança do PSB na Câmara

Câmara aprova impressão do voto eletrônico para conferência e auditoria.


A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (8), o substitutivo ao projeto de lei 5.498/09, que muda diversas regras das campanhas eleitorais, permite o uso da Internet já na próxima eleição e institui a materialização do voto eletrônico a partir da eleição de 2014. A proposta, chamada mini-reforma eleitoral, ainda precisa ser votada pelo Senado. A materialização do voto eletrônico foi proposta pela deputada federal Janete Capiberibe (PSB/AP) no projeto de lei 970/2007. “É uma conquista que pretendemos ver mantida pelo Senado Federal com o objetivo de dar mais segurança e transparência ao sistema eletrônico de votação e certeza para o eleitor de que seus candidatos receberam seus votos”, afirma a autora Janete Capiberibe. “Não é a volta do voto escrito, como podem pensar”, explica. “Mas aumenta a segurança do processo eleitoral por que permite a recontagem ou a auditoria, se for necessário. Queremos dar esse passo para garantir que a decisão do eleitor seja soberana. Nossa intenção é a mesma do TSE (Tribunal Superior Eleitoral): que a eleição seja cada vez mais segura e livre de fraudes”, completa a deputada. Pelo projeto aprovado, após as telas para votação proporcional (deputados e vereadores) e majoritárias (presidente, governador, prefeito e senador), o voto completo aparecerá em nova tela para ser conferido pelo eleitor. Após ser confirmado, a urna eletrônica imprimirá o voto que é mostrado ao eleitor por um visor e, sendo coincidente, será depositado em urna lacrada sem contato manual e em completo sigilo. Os votos impressos servirão para auditoria no sistema eletrônico de votação. Dois por cento das urnas eletrônicas de cada zona eleitoral deverão ser auditadas sistematicamente.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Em discurso na Câmara, Lídice condena violência contra as mulheres

Ao se solidarizar da tribuna da Câmara com a assistente social, Luciana Brasileiro Lopo, brutalmente violentada pelo marido no final de junho, a deputada Lidice da Mata(PSB/BA), fez uma retrospectiva dos avanço já alcançados pela construção de uma sociedade justa e igualitária, ressalvando, entretanto, que é preciso compromisso de todos os poderes para que as conquistas garantidas formalmente sejam efetivamente implementadas.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Câmara aprova texto básico da reforma na lei eleitoral


BRASÍLIA - A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira o texto básico da proposta de reforma na lei eleitoral. Em seguida serão discutidas e votadas as emendas ao projeto - que não devem, entretanto, mudar substancialmente o texto principal. Entre os pontos principais da proposta aprovada está o veto ao uso de imagens e voz de adversários na propaganda política das próximas eleições.
O projeto aprovado também elimina a necessidade de comparecimento de todos os candidatos a cargos majoritários em debates na TV, rádio e internet. Agora, os debates poderão ocorrer com a presença de, no mínimo, dois terços dos candidatos. Fica liberada a propaganda na internet, nos sites de relacionamento, como o twitter e o Orkut, e por e-mails.
O texto, no entanto, veda a propaganda em qualquer portal de empresa ou da administração direta ou indireta da União, Estados e municípios. A propaganda nos jornais impressos poderá ser feita por no máximo 10 inserções em cada veículo, devendo constar obrigatoriamente quanto custou a compra daquele espaço. Na internet é proibida a propaganda paga.O texto aprovado regulamenta a pré-campanha, autorizando aos candidatos a realização de prévias, reuniões fechadas e entrevistas como pré-candidatos. Com relação aos votos eletrônicos, a partir de 2014, o projeto prevê que eles serão também impressos e poderão ser vistos pelo eleitor no momento da votação.

Após a votação dos destaques, o projeto será encaminhado à apreciação do Senado Federal. Se aprovado e promulgado até o inicio de outubro, as novas regras eleitorais já valerão para as eleições do ano que vem.

Fonte: Ultimo Segundo

A apresentadora Heloisa Braga e Celsinho Cotrim foram as principais atrações do programa eleitoral gratuito do PSB.

A apresentadora Heloisa Braga e Celsinho Cotrim foram as principais atrações do programa eleitoral gratuito do PSB exibido no dia 06 de julho. Este que demosntra o crescimento do PSB na Bahia e em Salvador e no anseio do programa convoca a militância.a participar e eleger a nova direção do congresso que será realizado neste sábado dia 11 de julho ás 09 horas no Colegio das Mercês.
Veja o video abaixo e vamos juntos contruir um PSB mais forte e cada vez mais Socialista.


terça-feira, 7 de julho de 2009

CIRO ELOGIA GOVERNO LULA E APONTA DIRETRIZES PARA O FUTURO

O deputado federal Ciro Gomes (PSB/Ce) esteve ontem em Salvador a convite da Executiva Estadual do PSB, para proferir palestra sobre A Crise Econômica Mundial e os reflexos na Economia do Pais. Para um auditório formado por políticos , empresários, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e militantes do partido socialista, o deputado fez uma analise quase didática da economia do pais,e ao final respondeu a perguntas da platéia..
De acordo com o deputado todos os números da economia melhoraram com o governo do presidente Lula. Destacou que o salário mínimo, que é a maior ferramenta de distribuição de renda saiu de US$74 para US$230, o renda família fez um colchão de segurança social, alimentar gerando conseqüências econômicas favoráveis nas áreas reprimidas a exemplo dos pequenos comércios. Para ele, olhando para o retrovisor dá para apoiar o presidente Lula com entusiasmo, entretanto, mostrou-se preocupado com o futuro.
A agenda do deputado Ciro Gomes, começou assim que desembarcou em Salvador.Acompanhado da deputada Lidice da Mata (PSB) do deputado estadual capitão Tadeu, de Sérgio Gaudenzi, membro da Executiva Nacional do PSB, do presidente em Exercício da Executiva Municipal Celsinho Cotrim, visitou o Jornal A Tarde onde foi recebido pelo diretor Silvio Simões e concedeu uma longa entrevista à jornalista, quando respondeu perguntas sobre política e economia, enfatizando a sua disposição de candidatar-se á Presidência da República.
Em seguida a comitiva esteve na Rádio Metrópole, onde ao meio dia concedeu entrevista ao apresentador e ancora do programa Mário Kertész. Sempre bem humorado, o deputado Ciro Gomes, respondeu a perguntas dos ouvintes durante uma hora de programa. Também conversou com o apresentador sobre política nacional e a agenda que vem cumprindo em vários estados levando a idéia de sua postulação de candidato à presidência, mas fez questão de ressaltar que não será candidato contra o presidente Lula. Ele também negou qualquer intenção de candidatar-se a governador de São Paulo como se chegou a cogitar na imprensa.Disse que São Paulo precisa é de debate, até porque é a locomotiva do pais.
O terceiro compromisso do deputado Ciro Gomes e Salvador foi um almoço com os prefeitos, vice-_prefeitos e vereadores do PSB, no restaurante Coliseu, no Centro Histórico de Salvador. Na saída foi bastante cumprimentado pelo público e atendeu muitos pedidos para tirar fotos.
Acompanhado da deputada Lidice da Mata, do Secretário de Turismo Domingos Leonelli, o deputado Ciro Gomes, seguiu para o Centro Administrativo da Bahia onde fez uma visita de cortesia ao governador Jaques Wagner. O último compromisso da agenda foi à palestra na Associação Comercial.
Questionado sobre a candidatura da deputada Lidice da Mata ao senado o deputado respondeu que ela adquiriu uma experiência e conhecimento tão grandes que é merecedora dessa postulação., por diversas vezes ele fez questão de elogiar a atuação da deputada, segundo ele, uma das mais respeitadas na Câmara Federal.
Fonte: Ass. Imprensa Dep. Lídice da Mata

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) deu início ontem à tarde, no Hotel Sol Barra, no Porto da Barra, a uma série de encontros que pretende realizar para discutir a sua posição nas eleições de 2010. Mas o principal objetivo desses encontros é a discussão da pré-candidatura da deputada federal Lídice da Mata(foto) ao Senado. A deputada pleiteia uma das vagas na chapa a ser encabeçada pelo governador Jaques Wagner (PT).No encontro de ontem, como era esperado, o nome de Lídice foi confirmado por unanimidade como prioridade dos socialistas para disputar o Senado nas eleições de 2010. Ao falar, Lídice praticamente assumiu a condição de pré-candidata, não só pelas ideias que projetou para o futuro como pelos compromissos que recobrou. "Nós estamos tranquilos em relação aos compromissos assumidos com o PT. Tenho convicção de que o meu nome será apresentado pelo governador Jaques Wagner", disse Lídice.

TSE aprova a ampliação de projeto que permite pedir o título pela internet


Foi aprovada durante a sessão administrativa do TSE a ampliação do projeto Título Net, que permite aos eleitores solicitar o título eleitoral por meio da internet.A experiência já foi testada em caráter experimental pelo Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) em 2008 com o intuito de atender a necessidade de agilizar o atendimento aos eleitores. Além de fazer o alistamento eleitoral, os interessados poderão fazer transferência e revisão eleitoral.Depois de fazer o cadastro na internet, o eleitor deve comparecer com documentos de identidade e comprovante de residência para efetivar o cadastro junto a Justiça Eleitoral no prazo de cinco dias úteis.Se for o caso de transferência e o eleitor não tiver votado e nem justificado, terá que apresentar também o comprovante de pagamento de multa. Para esses casos, a guia de pagamento da multa estará disponível automaticamente ao fim do preenchimento do cadastro.A vantagem é que o eleitor terá maior comodidade com o novo serviço, pois será atendido, em algumas cidades, com data e hora marcada, além de o processo ser mais confiável pelo fato de ser o próprio requerente que preencherá os dados, restando ao atendente do cartório apenas conferir os documentos apresentados com as informações registradas. O eleitor poderá ainda escolher o local de votação mais próximo de sua residência e que tem vaga disponível. Ao digitar o CEP, automaticamente aparecerão as opções de seções na localidade.O que foi autorizado hoje é a segunda fase de implantação do projeto que será dividida em duas etapas, conforme cronograma a ser previamente aprovado pela Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral. A primeira vai abranger um universo ainda restrito para testar o sistema além do DF, no Paraná, em Rondônia e em São Paulo.Na segunda etapa, o projeto será estendido para todas as unidades da federação.A proposta foi aprovada por unanimidade pelos ministros da Corte. O presidente, ministro Carlos Ayres Britto manifestou sua adesão à proposta e afirmou que as possibilidades da internet “se colocam a serviço do aperfeiçoamento da Justiça Eleitoral”.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Nair Goulart é releita presidente da Força Sindical da Bahia.

A Força Sindical da Bahia reelegeu durante o Congresso Estadual da entidade nos últimos dias 3 e 4 na Casa do Comércio Nair Goulart como presidente do grupo. Será o segundo mandato de quatro anos da sindicalista à frente do órgão, no qual afirma que dá preferência á luta pela melhoria dos salários e promoção do trabalho com ênfase para mulheres e jovens. O encontro também teve uma série de resoluções regionais que serão levadas para o 6º Congresso Nacional da entidade que acontecerá nos dias 29, 30, 31 de julho na Estância Balneária de Praia Grande, em São Paulo.

Hoje, palestra de Ciro Gomes na ACB

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Lídice recebe carinho e apoio no percurso do 2 de julho

A Frente Verde Socialista formada pelo PSB e PV foi lançada oficialmente no Dois de Julho, consolidando a formação do bloco político que defende o nome da deputada Lídice da Mata(PSB) para o Senado. Durante todo o cortejo muitas foram as manifestações de populares saudando a parlamentar, com expressões de carinho. Esse ano em uma ação conjunta o PSB, PV, PT e PCdoB a militância conduziu uma grande faixa em defesa da Petrobrás. Em alguns pontos do trajeto, como na subida do Largo do Pelourinho, Lídice foi recebida com aplausos e incentivo para manter a candidatura ao Senado. Moradora, da Boca do Rio, Maria de Lurdes, lembrou os benefícios feitos pela ex-prefeita na localidade e enfatizou que o Senado precisa de uma representante baiana com a garra da deputada.”Ela comeu o pão que o diabo amassou quando foi prefeita mas não desanimou”, lembrou sem deixar de aplaudir com entusiasmo o desfile.
A deputada mostrou-se feliz com as inúmeras manifestações carinho recebidas durante todo o percurso, reafirmando a disponibilidade em contribuir com o governo de Jaques Wagner fortalecendo a representação baiana no Congresso Nacional. Nem mesmo a ação agressiva repressiva dos prepostos da Prefeitura, que arrancaram as faixas colocadas pelo PSB saudando os heróis da Independência, conseguiu desanimar a militância. Mesmo sem as faixas que foram colocadas nos sobrados com autorização dos proprietários, o grupo seguiu o percurso animado, empunhado os ideais de um projeto novo pautado pelo desenvolvimento sustentável e pela luta do socialismo.

Nota Oficial do partido Socialista Brasileiro sobre o golpe de Estado em Honduras


O Partido Socialista Brasileiro (PSB) repudia veementemente o golpe de Estado ocorrido em Honduras, na madrugada de domingo, 28 de junho de 2009. Uma vez mais, as forças retrogradas latino-americanas insurgiram-se contra o processo democrático vigente no continente sul americano, que luta por mudanças estruturais profundas e pela conquista de sua verdadeira soberania. Este golpe é um retrocesso que não podemos admitir que aconteça na vida democrática do País irmão, em razão do que o Partido conclama a volta imediata e sem nenhuma condição do presidente Manuel Zelaya e sua funções.O PSB espera, ainda, que os países latino-americanos se abstenham de reconhecer o governo títere.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Diversidade e participação popular marcaram o 2 de julho


Maculêle, banhos de folhas e manifestações culturais, políticas e ambientais representaram o espírito das comemorações de 2 de Julho – a liberdade. A manhã de festa começou com a alvorada de fogos no Largo da Lapinha, a partir da qual milhares de baianos e turistas se concentraram para a festa que homenageia caboclos, índios e demais heróis que fizeram a independência da Bahia e do Brasil.
Durante as comemorações, o governador Jaques Wagner lembrou que o Governo do Estado enviou uma proposta para ser votada na Assembléia Legislativa, transformando o Hino ao 2 de Julho no hino oficial da Bahia. “A homenagem é mais do que verdadeira porque é preciso que o povo saiba que, se a batalha de 2 de Julho tivesse sido perdida, é possível que a configuração e a geografia do Brasil fosse outra”, afirmou.
“É preciso que o país inteiro conheça a data de 2 de Julho, assim como o 25 de junho de 1822, quando a Câmara de Cachoeira foi a primeira a proclamar a independência do território baiano, particularmente do Recôncavo”, disse Wagner.
Ao lado do Governador, o Secretário de Turismo Domingos Leonelli(PSB), destacou a ampla participação popular e o grande potencial turístico da festa cívica maior da Bahia.

Forró no Pelô marca comemorações pela Independência da BahiaUma maratona de forró patrocinada pela SETUR marcou as comemorações pela Independência da Bahia nesta quinta-feira (2). O feriado de 2 de Julho foi brindado com o melhor da música nordestina e apresentações de diversos artistas.
Os shows do Forró da Independência, que começaram ao meio-dia, tiveram um sabor de despedida do São João da Bahia 2009, que levou alegria e diversão a mais de 500 mil pessoas que foram ao Pelourinho durante os 13 dias de festa.
Passaram pelo palco do Terreiro de Jesus, forrozeiros como Targino Gondim, Adelmário Coelho, Del Feliz, Gereba, Zelito Miranda e Carlos Pitta. Eles comandaram um verdadeiro arrastapé em homenagem aos heróis da principal data da história baiana.
A festa também contou com a presença de convidados especiais como Olodum, Bando Virado no Mói de Coentro, Forró Ypslone, Rosa Xote e Tio Barnabé.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Dois de Julho, a Independência da Bahia e do Brasil.


Quando Dom Pedro gritou “Independência ou Morte”, erguendo sua espada às margens do Rio Ipiranga, o Brasil comemorou o fim dos laços que o prendiam a Portugal. Porém, a Bahia, justamente onde o Brasil foi descoberto, permaneceu presa às amarras da ocupação. Somente 10 meses após a independência do Brasil, o povo baiano pôde comemorar, de fato, a conquista da sua aspirada liberdade.
A independência do Brasil começou na Bahia.

Em Santo Amaro e Cachoeira, as duas principais cidades do Recôncavo, aconteceram importantes episódios históricos vinculados ao processo da Independência da Bahia. Coube ao Senado da Câmara de Santo Amaro, em 14 de junho de 1822, reunir-se e decidir que o Brasil deveria ter um centro único de Poder Executivo, segundo regras de uma constituição liberal e ter direito a exército e marinha sob a autoridade do Príncipe Regente. Também a Câmara de Cachoeira, em 25 de junho 1822, proclamou o Príncipe Regente “defensor e protetor deste Reino do Brasil”. Esses atos e manifestações marcaram a adesão da Bahia ao movimento pela independência, que tomaram impulso no sul do país.
Independência do Brasil: o princípio de tudo, mas não o fim.

Em janeiro de 1822, Dom Pedro, então Príncipe Regente, negou obediência às cortes de Lisboa, recusando a ordem de regressar a Portugal. Com essa decisão, Dom Pedro se tornou o ponto de apoio para o movimento de independência do Brasil. Nessa mesma época, devido aos conflitos entre brasileiros e portugueses que estavam ocorrendo na Bahia, Portugal nomeou oficiais portugueses para o Comando das Armas, visando manter o controle sobre o norte do país. Assim, o oficial brasileiro, brigadeiro Manoel Pedro de Freitas Guimarães, foi substituído pelo brigadeiro português, Inácio Madeira de Melo.
O levante de soldados: luta armada para defender Salvador.

A substituição do oficial brasileiro gerou protestos na população e na Câmara, que recusou a dar posse ao militar português, resultando em uma luta armada. No dia 18 de fevereiro, marinheiros portugueses cercaram e tomaram o Forte de São Pedro e o quartel da Mouraria, onde se concentravam os militares brasileiros. Sendo superiores em número e armamento, eles logo dominaram a cidade e cometeram absurdos, culminando com o assassinato de Soror Joana Angélica, no Convento da Lapa, onde também feriram o Padre Daniel da Silva Lisboa, capelão do Convento.Os baianos não aceitaram a perda da cidade. Militares brasileiros saíram do Forte de São Pedro e armaram guerrilhas nas matas, desde Brotas até a Fazenda Garcia. Militares, civis e famílias inteiras refugiaram-se no Recôncavo.A Guerra da Independência da Bahia tornou-se uma oposição entre Salvador, com os comerciantes portugueses ligados às cortes de Lisboa, e o Recôncavo, centro de articulação das forças nacionais, com os senhores de engenho radicados na terra e lutando por ela.
A jovem heroína Maria Quitéria.

No Recôncavo baiano surgiram milícias e grupos de voluntários, armados e mantidos pelos senhores de engenho. Foi nesse cenário que Maria Quitéria, uma jovem dos arredores de Feira de Santana, desobedeceu a seu pai para unir-se à luta no Batalhão dos Periquitos. Com os cabelos cortados e vestindo-se como um homem, fugiu de casa e dirigiu-se à vila de Cachoeira, onde se alistou sob o nome de Medeiros. Ao ser descoberta pelo pai, duas semanas depois, foi defendida Major José Antônio da Silva Castro, avô do poeta Castro Alves. Maria Quitéria foi incorporada a esta tropa, pois tinha facilidade no manejo das armas e reconhecida disciplina militar. A jovem participou de importantes defesas, atacou trincheiras, comandou grupos femininos e fez prisioneiros. Por seus atos de bravura em combate, o General Pedro Labatut conferiu-lhe as honras de 1º Cadete. No dia 20 de agosto foi recebida no Rio de Janeiro pelo Imperador em pessoa, que a condecorou com a Imperial Ordem do Cruzeiro, no grau de Cavaleiro.
O corneteiro Luís Lopes

Ao saber dos acontecimentos na Bahia, o Príncipe decidiu enviar um reforço militar. Em outubro de 1822, já após a proclamação da Independência do Brasil em São Paulo, chegou à Bahia o militar francês Pedro Labatut, para dirigir a campanha de libertação. Labatut sitiou a cidade de Salvador, com três centros de comando: Pirajá, Cabula e Itapuã. Portugal enviou reforços a Madeira de Melo, que atacou Pirajá e rompeu a linha de defesa dos brasileiros em um combate considerado o maior de todo conflito. Ao pressentir a derrota total, o comandante brasileiro ordenou tocar retirada. O corneteiro Luís Lopes, porém, tocou “Avançar cavalaria e degolar”, surpreendendo os portugueses. Os brasileiros aproveitaram a situação e lançaram uma contra-ofensiva, diante da qual os inimigos simplesmente largaram as armas e fugiram apavorados
Dois de julho: a independência definitiva do Brasil.

Em janeiro de 1823, Labatut foi preso e enviado para o Rio de Janeiro, pois suas decisões eram consideradas arbitrárias e ditatoriais. Para substituí-lo foi escolhido José Joaquim de Lima e Silva, que manteve a mesma tática de guerrilha, com o apoio da esquadra de Lord Cochrane, fazendo o cerco marítimo. No final de junho, começou o avanço para a vitória brasileira. No dia dois de julho, o Exército Libertador entrou triunfante na cidade do Salvador, sob o comando do General Lima e Silva. Maria Quitéria foi saudada e homenageada pela população em festa. O governo da Província dera-lhe o direito de portar espada e, na condição de Cadete, ela usava uniforme de cor azul, com saiote e capacete com penacho.
No dia 7 de setembro de 1822, dom Pedro I proclamou a independência em uma viagem de volta de Santos para São Paulo. Esse dia é considerado a data da emancipação do Brasil como nação, o dia da Independência. Entretanto, durante algum tempo ocorreram lutas em diversos pontos do território brasileiro contra tropas portuguesas, que defendiam a continuidade da dominação de Portugal sobre o Brasil. Essas lutas pela consolidação da independência prolongaram-se do final de 1822 ao final de 1823. Além do Rio de Janeiro, estenderam-se pelas províncias da Bahia (até julho de 1823), Pará (outubro de 1823), Maranhão, Piauí, Ceará (agosto de 1823) e Cisplatina, pois nessas províncias o contingente das tropas portuguesas era grande.
A libertação de Salvador do domínio de tropas portuguesas foi longa e difícil. Na realidade, as lutas contra as forças portuguesas do brigadeiro Madeira de Melo, a mais alta autoridade militar da província, começaram a crescer desde 1820. Com a independência proclamada por dom Pedro, os conflitos aumentaram.
Salvador: foco de resistência portuguesa
Portugal desejava fazer de Salvador um foco de resistência à independência da Colônia. No início de 1823, tropas portuguesas chegaram a Salvador para reforçar os contingentes da Metrópole. As tropas brasileiras de Manuel Pedro, que havia sido nomeado por dom Pedro para a mesma função de Madeira de Melo, foram derrotadas. Diante da derrota, recuaram para o Recôncavo Baiano, pois os habitantes dessa região eram os maiores defensores da independência.
A partir de então começou o cerco a Salvador, onde concentravam-se os militares e os comerciantes portugueses. Cercada, a cidade ficou incomunicável, sem alimentos e munição. Madeira de Melo pediu ajuda a Portugal e dom Pedro envia o general Labatut para reforçar as tropas brasileiras. As entradas de Salvador ficaram praticamente interditadas pelas forças que defendiam a independência. Madeira de Melo não tem outra alternativa a não ser ir para o ataque. No dia 8 de novembro de 1822, trava-se em Pirajá uma das batalhas mais duras e violentas da libertação da Bahia e Madeira de Melo teve de recuar.
Nos primeiros meses de 1823, a situação de Salvador deteriorou muito. Sem alimentos, as doenças matavam cada vez mais pessoas. Diante dessa situação, o chefe português permite a saída dos moradores de Salvador e cerca de 10 mil pessoas deixam a capital da província. Em fins de maio, uma nova frota brasileira comandada pelo inglês lord Cochrane chega a Salvador. Vendo que era inútil a resistência, as tropas portuguesas se rendem.
O mês de julho começa com o embarque dos portugueses. No dia 2, o Exército brasileiro entra vitorioso em Salvador.
As guerras de independência, em especial a que se travou na Bahia, revelam um aspecto importante no processo da emancipação política do Brasil, muitas vezes pouco valorizado em nossos estudos históricos: a independência enfrentou uma questão militar. E como o Brasil não tinha uma estrutura militar adequada às necessidades de seu imenso território, precisou lançar mão de tropas mercenárias, comandadas por oficiais estrangeiros.
Recôncavo Baiano
Recôncavo Baiano é a área situada em torno da baía de Todos os Santos. Era uma região rica, com muitos engenhos de açúcar, povoados e vilas.
Os habitantes das vilas e povoados do Recôncavo Baiano eram na maioria defensores da Independência. Proprietários ricos logo começaram a organizar batalhões patrióticos de mulatos e negros para lutar contra os portugueses. E muitas Câmaras Municipais decidiram desafiar as ordens de Madeira de Melo, aclamando oficialmente dom Pedro como imperador e Defensor Perpétuo do Brasil.
Da união entre os soldados da capital e do interior nasceu o Exército Patriótico, forte e combativo. Sua combatividade ficaria ainda maior com os reforços enviados de outras províncias, principalmente Pernambuco.
A 22 de setembro de 1822, anuciou-se a ruptura definitiva: a Câmara de Cachoeira instalou na cidade um governo paralelo, o Conselho Interino do governo da província da Bahia. A situação se invertia. Agora era o interior que governava, preparando-se para retomar a capital.


Bibliografia consultada:Brasil, História e Sociedade, de Francisco M. P. Teixeira. São Paulo, Ática, 2000.As guerras da independência, de Arlenice Almeida da Silva. São Paulo, Ática, 1995.

Edital do congresso do PSB

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

A Executiva Municipal provisória do PSB de Salvador, Bahia, no uso das suas atribuições, convoca todos os filiados, em dia com suas obrigações partidárias, nos termos do art. 4º, § 2º do Estatuto, c/c o art. 12 do Regimento Interno e o art. 5º da Resolução CEN nº 01/2007, a comparecerem ao seu Congresso Municipal, que será realizado no dia 11 de julho de 2009, das 08:30 às 15:00 horas, no Colégio das Mercês, sito a avenida 07 de Setembro, nº 1105, Mercês, Salvador, Bahia com a seguinte pauta: Eleição do Diretório Municipal, Conselho Fiscal, Conselho de Ética e seus respectivos Suplentes.
Salvador, 01 de julho de 2009.
Celso Zalio Coelho
Presidente da Comissão Executiva Provisória Municipal
PSB-Salvador/BA

Em 15 anos de real, desafio é conter dívida pública diante da alta dos gastos federais

Uma das principais responsáveis pela estabilidade da moeda em quase duas décadas, a dívida pública chega aos 15 anos do Plano Real sob o desafio de ser contida em meio à expansão dos gastos federais. Ao mesmo tempo em que precisa de dinheiro para honrar os compromissos, o governo afrouxa o esforço fiscal que impede a disparada da dívida líquida do setor público, atualmente em R$ 1,24 trilhão.Para atenuar as consequências da crise econômica mundial sobre o país, o governo diminuiu o superávit primário em 2009. De 3,8% do Produto Interno Bruto (PIB), a meta passou para 2,5%, o que liberou cerca de R$ 40 bilhões para o setor público – União, estados, municípios e estatais – gastarem a mais.A equipe econômica também retirou os investimentos da Petrobras do cálculo do superávit. Dessa forma, a partir de 2010, a meta não retornará ao nível anterior. Será de 3,3% do PIB.Ao anunciar a redução do superávit primário, em abril, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que a dívida líquida do setor público deverá fechar 2009 em 39,4% do PIB, praticamente estável em relação aos 39,1% registrados em dezembro do ano passado. Para chegar a esse resultado, no entanto, o governo conta com a manutenção da taxa Selic, que mede os juros básicos da economia, nos menores níveis da história.Um dos principais fatores de pressão sobre a dívida pública, a taxa Selic corrige quase 40% da dívida mobiliária (em títulos) interna. Atualmente em 9,25% ao ano, a Selic está pela primeira vez em um dígito. Por causa disso, as despesas com os juros da dívida caíram de R$ 71,7 bilhões, nos quatro primeiros meses de 2008, para R$ 65,4 bilhões de janeiro a abril deste ano.As instituições financeiras não têm o mesmo otimismo do governo. Segundo o boletim Focus, pesquisa com analistas econômicos divulgada toda semana pelo Banco Central, a dívida líquida do setor público deverá encerrar 2009 em 39,95%.O superávit primário é a economia de recursos para pagar os juros da dívida pública. O mecanismo foi instituído em 1998, por pressão do Fundo Monetário Internacional (FMI) durante a crise da Rússia. Desde então, o setor público é obrigado a gastar menos do que arrecada, descontadas as despesas com os juros.Por meio da dívida pública, o governo emite títulos e toma dinheiro emprestado dos investidores para fechar as contas, em vez de emitir dinheiro e impulsionar a inflação. Em troca, compromete-se a devolver os recursos com juros, que podem ser definidos com antecedência ou atrelados ao câmbio, à inflação e à taxa Selic.Em julho de 1994, mês de lançamento do Plano Real, a dívida líquida do setor público era de 32,8% do PIB. Em janeiro de 1999, esse indicador chegou a 47% do PIB, quase metade do que o país produz. A disparada ocorreu porque o governo emitiu títulos para enxugar parte dos recursos que entravam no país e impedir o ressurgimento da inflação.Na eleição presidencial de 2002, a dívida chegou a 56% do PIB, mas diminuiu gradualmente até encerrar o ano passado em 39,1% do PIB. Essa redução foi possível por causa do esforço fiscal do governo na última década. Com o superávit primário, o governo abateu parte dos juros e impediu a disparada da dívida.

SÓ CONHECIMENTO GERA CIDADANIA.


Antonio Tadeu Fernandes, além de deputado estadual pelo PSB, é professor, advogado especializado em direito do trânsito e Capitão da Polícia Militar. Desde sempre luta por melhores condições de trabalho na PM e por um trânsito mais humano e civilizado. Por isso, tornou-se o legítimo representante dos policiais e agentes de trânsito da Bahia na Assembleia Legislativa.
Entre uma ação (luta) e outra, Capitão Tadeu, percebeu que faltava à Bahia uma instituição gratuita que promovesse a formação de cidadãos conscientes, agentes de cidadania. Surge em 2002, o Centro de Apoio Jurídico (CENAJUR).
O CENAJUR, através da Escola de Direito e Cidadania (EDC), universaliza o saber jurídico, presta atendimento gratuito a policiais militares (e familiares), busca desenvolver a sociedade a partir da cultura legal. Enfim, põe em prática a genial definição da ONU: cidadania é um caminho de mão dupla, é ter direitos e deveres, é ser súdito e rei ao mesmo tempo. Para Capitão Tadeu, uma das causas da violência é exatamente a falta de cidadania, percebida na “banalização” da vida humana ou no total desrespeito às leis. Assim, emenda: “cidadãos conscientes são comprometidos com a cultura da paz”.
As ações educativas do CENAJUR - EDC têm uma dinâmica própria - a abordagem dos conteúdos busca simplificar e associar o complexo sistema legislativo ao cotidiano. Graças a ela é que mais de 500 pessoas já se formaram no curso Fundamental de Direito. Hoje já existe um núcleo de ensino à distância (Projetos Gotas no Oceano e Silvo de Alerta, disponíveis no http://www.capitaotadeu.com.br/)
Iniciativas assim, tornam Capitão Tadeu um dos mais atuantes parlamentares da Assembleia Legislativa da Bahia.

Movimento Sindical do PSB comemora aprovação de 40 horas semanais para trabalhadores

A comissão especial que analisa a redução da jornada de trabalho, de 44 para 40 horas semanais, aprovou, nesta terça-feira (30), por unanimidade, o relatório favorável apresentado pelo deputado Vicentinho (PT-SP) à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 231/95. A PEC, em tramitação há 14 anos no Congresso Nacional, também aumenta o valor da hora extra de 50% do valor normal para 75%. “Essa é uma proposta histórica da classe trabalhadora. Para o Movimento Sindical do Partido Socialista Brasileiro, a defesa da redução da jornada de trabalho significa fazer justiça aos trabalhadores”, afirmou o secretário nacional sindical do PSB, Joilson Cardoso(foto).

FRENTE VERDE SOCIALISTA NO 2 DE JULHO



PV e PSB decidiram acertar os passos e vão caminhar juntos no destile do Dois de Julho.Com isso os dois partidos levam oficialmente para as ruas, a idéia da frente Verde Socialista que está se consolidando em todo o Estado. Além da tradicional faixa que já se tornou bandeira dos socialistas pela volta do nome do Aeroporto Dois de Julho, este ano a militância também conduzirá uma outra em defesa da Petrobrás.A concentração está marcada para às 7h30, ao lado do posto de gasolina da Lapinha.